O IRS pode rastrear criptografia em 2024?

O IRS pode rastrear criptografia em 2024?

Curioso sobre a capacidade do IRS de monitorar suas transações de Bitcoin e outras criptomoedas? Você está no lugar perfeito para aprender. Muitos entusiastas das criptomoedas em 2024 estão questionando a extensão das capacidades de rastreamento do IRS. Ao contrário da crença popular de que as transações com criptomoedas permanecem totalmente anônimas, a verdade é exatamente o oposto. Descobriremos as estratégias que o IRS usa para rastrear criptomoedas, que tipo de informações eles podem coletar sobre suas negociações de criptografia e detalharemos quais bolsas são conhecidas por relatar dados de clientes ao IRS.

blog top

O IRS pode rastrear criptografia?

Na verdade, o Internal Revenue Service (IRS) tem a capacidade de monitorar transações envolvendo criptomoedas em diferentes blockchains, bem como através de plataformas de câmbio centralizadas. As transações realizadas diretamente no blockchain podem ser examinadas usando técnicas de análise de blockchain. Enquanto isso, muitas bolsas centralizadas que operam nos Estados Unidos são obrigadas a aderir aos regulamentos do IRS, exigindo que divulguem informações do cliente, incluindo detalhes do Know Your Customer (KYC) e registros de transações.

No entanto, é importante observar que nem todas as transações estão ao alcance do rastreamento. Certas blockchains que priorizam a privacidade implementaram medidas que obscurecem bastante a capacidade de rastrear transações ou determinar a propriedade de endereços específicos. Além disso, várias bolsas centralizadas, especialmente aquelas fora da jurisdição dos EUA, ainda não enviaram informações dos clientes ao IRS.

Este cenário complexo indica um equilíbrio sutil entre privacidade e conformidade regulatória dentro do ecossistema de criptomoedas. Embora órgãos reguladores como o IRS tenham desenvolvido ferramentas e parcerias para melhorar as suas capacidades de rastreio, a natureza evolutiva da tecnologia blockchain e a variedade de práticas entre bolsas em todo o mundo apresentam desafios e considerações constantes tanto para utilizadores como para reguladores.

Como o IRS pode rastrear a criptografia?

O IRS está intensificando seus esforços para monitorar as transações de criptomoedas, empregando uma estratégia abrangente que combina a supervisão tradicional com métodos tecnológicos avançados para garantir o cumprimento fiscal no espaço criptográfico.

Mecanismos de rastreamento:

  • Autorrelato : Uma pedra angular da estratégia do IRS é a inclusão de uma pergunta específica no Formulário 1040, que exige que os contribuintes dos EUA declarem se participaram de alguma transação de criptomoeda. Esta consulta direta visa promover relatos honestos diretamente dos indivíduos.
  • Análise de Blockchain : Para aprimorar suas capacidades, o IRS utiliza ferramentas sofisticadas de análise de blockchain, como as desenvolvidas pela Chainalysis. Essas ferramentas são fundamentais para rastrear transações de criptomoedas até pessoas ou entidades identificáveis, atravessando o véu do anonimato do blockchain.
  • KYC e conformidade de dados de câmbio : O IRS exige que as bolsas de criptomoedas baseadas nos EUA coletem e relatem informações detalhadas dos clientes, especialmente daqueles que realizam negociações de alto volume. Isso garante que mesmo as transações pseudônimas no blockchain possam ser rastreadas até identidades do mundo real por meio de trocas regulamentadas.

Coleta de dados e regulamentações aprimoradas :

Como parte de um reforço orçamental significativo em 2022, o IRS reforçou a sua força de trabalho com mais de 87.000 novos agentes, destacando a criptografia como uma área de foco principal para a aplicação do cumprimento fiscal. Este movimento significa a crescente ênfase na captura de dados detalhados sobre transações criptográficas.

Para operar legalmente nos EUA, todas as principais exchanges de criptomoedas agora são obrigadas a realizar verificações rigorosas do tipo Conheça seu Cliente (KYC) . Essas verificações evoluíram da coleta básica de informações pessoais para métodos mais avançados, incluindo identificação biométrica, envio de vídeos e verificação de fotos junto com documentos de identidade. As bolsas também coletam dados adicionais, como dados bancários, números de telefone e informações sobre empregos, aumentando a capacidade do IRS de rastrear atividades financeiras.

Além disso, a visibilidade que as bolsas têm sobre os endereços criptográficos para os quais os utilizadores retiram fundos acrescenta outra camada de rastreabilidade, ajudando a identificar as carteiras de custódia utilizadas pelos contribuintes.

Diretrizes Futuras :

Olhando para o futuro, o IRS propôs novas orientações definidas para agosto de 2023, obrigando os corretores de criptografia a emitir o Formulário 1099-DA tanto para o IRS quanto para os usuários, afetando potencialmente as bolsas centralizadas e descentralizadas e possivelmente algumas carteiras online. Esta medida, que deverá ser implementada até 2025, sublinha o quadro regulamentar mais rigoroso em torno das criptomoedas e visa melhorar ainda mais as capacidades de monitorização e conformidade do IRS.

Para aqueles que procuram alternativas, o cenário de não haver trocas de criptografia KYC continua sendo uma área de interesse, embora o ambiente regulatório em evolução apresente desafios e considerações tanto para usuários quanto para plataformas.

O IRS pode ver minhas transações criptográficas?

Certamente, o IRS possui a capacidade de examinar minuciosamente as suas transações de criptomoeda, empregando software sofisticado projetado para análise de blockchain. Dado que todas as transações de criptomoeda são meticulosamente registradas no blockchain, essas ferramentas analíticas permitem que o IRS rastreie meticulosamente o histórico de transações de carteiras criptográficas específicas, muitas vezes conseguindo conectar essas carteiras às identidades de seus proprietários.

Além de aproveitar a análise de blockchain, o IRS tem acesso a dados de bolsas regulamentadas de criptomoedas. Estas bolsas são obrigadas a reportar informações detalhadas sobre os seus utilizadores, especialmente no que diz respeito a transações significativas, ao IRS. Este requisito regulatório garante que o IRS tenha uma visão abrangente das atividades de criptomoeda dos indivíduos, melhorando significativamente a sua capacidade de monitorar e fazer cumprir o cumprimento fiscal no domínio da moeda digital. Somando-se a isso, o cenário em evolução da regulamentação criptográfica significa que o IRS está continuamente refinando seus métodos e ferramentas para acompanhar os avanços tecnológicos, garantindo ainda maior transparência e supervisão no futuro.

middle

O IRS saberá se eu não relatar minha criptografia?

Embora possa não ser garantido, existe uma probabilidade considerável de que o IRS descubra quaisquer transações de criptomoeda não declaradas que você possa ter. Aproveitando tecnologia de ponta, o IRS está aprimorando ativamente suas capacidades para identificar ativos criptográficos não divulgados. É razoável prever o uso contínuo de tais métodos avançados pela agência.

O arsenal do IRS inclui ferramentas sofisticadas de análise de blockchain capazes de rastrear os movimentos de carteiras específicas através do blockchain. Esta tecnologia permite à agência associar potencialmente uma carteira específica à identidade de um indivíduo, revelando transações que não foram reportadas. Além disso, o IRS obteve historicamente ordens judiciais para aceder aos dados dos utilizadores das bolsas de criptomoedas, reforçando ainda mais a sua capacidade de detetar transações não declaradas.

Negligenciar a divulgação de transações de criptomoeda em suas declarações fiscais é uma violação das leis dos EUA e pode levar a consequências graves, incluindo penalidades, juros acumulados ou até mesmo acusações criminais. Conseqüentemente, é altamente recomendável relatar completamente todas as suas transações com criptomoedas em sua declaração de imposto de renda para garantir a conformidade e evitar possíveis problemas legais.

Esqueci de informar a criptomoeda nos impostos - o que devo fazer?

Se você perceber que omitiu o relatório de suas transações de criptomoeda em suas declarações fiscais, existe uma abordagem proativa que você pode adotar para mitigar possíveis penalidades e reduzir o risco de ser auditado por fraude fiscal. O IRS tem autoridade para auditar declarações sem qualquer limitação de tempo se houver suspeita de fraude fiscal, tornando crucial resolver quaisquer descuidos o mais rápido possível.

Alterando sua declaração de imposto :

A etapa mais simples é alterar sua declaração de imposto de renda dos anos em questão. Você tem permissão para apresentar uma declaração alterada até três anos após a data de apresentação original ou dois anos após o pagamento do imposto, o que ocorrer depois. A correção voluntária de sua declaração de imposto de renda mostra ao IRS sua intenção de cumpri-la, o que pode resultar em um tratamento mais favorável.

Para alterar sua declaração, envie o Formulário 1040X do IRS. Este formulário é especificamente para alterar declarações fiscais apresentadas anteriormente. Você só precisará incluir as alterações e ajustes relacionados às suas transações de criptomoeda, e não refazer todo o retorno.

Divulgação voluntária :

Se a sua falha em relatar foi mais do que um simples descuido, o IRS oferece uma maneira de esclarecer tudo por meio do Formulário 14457, a Solicitação e Solicitação de Pré-compensação de Prática de Divulgação Voluntária. Este formulário foi atualizado recentemente para abordar especificamente a divulgação de transações em moeda virtual. O preenchimento deste formulário pode ser um movimento estratégico para indivíduos que temem processos criminais por evasão fiscal. É uma forma de divulgar proativamente receitas ou transações não declaradas ao IRS, evitando potencialmente penalidades mais severas e consequências legais. Ao preencher o Formulário 14457, você se compromete a cooperar totalmente com o IRS e liquidar quaisquer impostos devidos.

Ambas as rotas exigem uma consideração cuidadosa e são melhor navegadas com o aconselhamento de um profissional tributário ou advogado especializado em direito tributário. Eles podem fornecer orientação personalizada com base nas especificidades da sua situação, garantindo que você tome as medidas mais adequadas para corrigir suas declarações fiscais e cumprir os regulamentos do IRS.

Como escondo a criptografia do IRS?

Ocultar transações de criptomoeda do IRS não é apenas contra a lei, mas também acarreta o risco de consequências graves, incluindo multas substanciais e potencial pena de prisão. O IRS intensificou significativamente os seus esforços para monitorar as transações de criptomoedas, empregando tecnologias e metodologias avançadas para garantir transparência e conformidade. Como resultado, tornou-se cada vez mais desafiador ocultar totalmente os ativos criptográficos do escrutínio regulatório.

Nos Estados Unidos, os contribuintes são obrigados a cumprir as leis fiscais, o que implica a declaração precisa de todas as participações e transações de criptomoedas. Não fazer isso viola as regulamentações fiscais federais e pode levar a repercussões legais. Para aqueles que podem não ter certeza sobre como relatar adequadamente suas criptomoedas nas declarações fiscais, buscar orientação é essencial.

O IRS pode rastrear NFTs?

Na verdade, o IRS é capaz de rastrear transações de Token Não Fungível (NFT), da mesma forma que faz com outras formas de criptomoeda. Essa capacidade decorre do fato de que as transações NFT são conduzidas no blockchain, que, apesar de oferecer um certo grau de pseudonimato, registra as transações em um livro-razão acessível ao público. Essa trilha digital no blockchain pode fornecer ao IRS os meios para vincular potencialmente a propriedade de um NFT à identidade de um indivíduo.

Dada a natureza única de cada NFT e o seu histórico de transações na blockchain, estes ativos digitais podem por vezes ser mais rastreáveis do que as criptomoedas tradicionais. Quando um NFT é comprado, vendido ou transferido, deixa uma pegada distinta que, quando analisada com as ferramentas e conhecimentos adequados, pode revelar as partes envolvidas na transação.

À medida que o IRS continua a melhorar a sua compreensão e capacidades na vigilância de ativos digitais, as transações NFT são cada vez mais suscetíveis de serem examinadas. Para os proprietários de NFT, isto enfatiza a importância do cumprimento dos regulamentos do IRS, garantindo que todas as transações envolvendo NFTs sejam relatadas com precisão para evitar possíveis penalidades legais e financeiras.

Quais exchanges de criptomoedas não reportam ao IRS?

Numerosas bolsas internacionais de criptomoedas que operam fora da jurisdição dos EUA podem não exigir protocolos Know Your Customer (KYC) ou relatar dados do usuário ao IRS. Essa falta de exigência pode atrair usuários que buscam mais anonimato em suas transações criptográficas. Algumas dessas plataformas incluem KuCoin, OKX, Bitget, MEXC e Gate.io, entre outras. No entanto, é crucial compreender as implicações e limitações associadas ao uso de tais trocas.

Por exemplo, para gerir o risco e cumprir os regulamentos nas suas jurisdições operacionais, estas bolsas podem impor restrições aos utilizadores que não tenham concluído a verificação KYC. Um exemplo é o OKX, que estabelece um limite para saques diários para usuários não verificados e restringe compras fiduciárias para criptomoedas sem a conclusão do KYC.

Além disso, muitas dessas plataformas não estão autorizadas a fornecer serviços a residentes nos EUA, muitas vezes bloqueando o acesso de endereços IP dos EUA ou de outras regiões restritas. Apesar disso, alguns indivíduos recorrem ao uso de Redes Privadas Virtuais (VPNs) para mascarar os seus endereços IP e contornar restrições geográficas. Embora isso possa parecer uma solução alternativa, acarreta riscos significativos. As bolsas têm o direito de congelar ativos ou bloquear contas se detectarem uma violação dos seus termos de serviço, o que inclui o uso de VPNs para contornar restrições geográficas.

Esta abordagem não só põe em risco a segurança dos fundos, mas também levanta questões jurídicas e éticas. Os utilizadores devem estar conscientes das potenciais consequências e considerar cuidadosamente os riscos e as implicações legais antes de se envolverem em tais práticas. A conformidade com as políticas de câmbio e as leis locais é fundamental para garantir uma experiência de negociação de criptografia segura e legal.

bottom

Por favor, note que Plisio também oferece a você:

Crie faturas criptográficas em 2 cliques and Aceitar doações de criptografia

12 integrações

6 bibliotecas para as linguagens de programação mais populares

19 criptomoedas e 12 blockchains

Ready to Get Started?

Create an account and start accepting payments – no contracts or KYC required. Or, contact us to design a custom package for your business.

Make first step

Always know what you pay

Integrated per-transaction pricing with no hidden fees

Start your integration

Set up Plisio swiftly in just 10 minutes.