Endereços de carteira criptografada: como criá-los e usá-los

Endereços de carteira criptografada: como criá-los e usá-los

Com a ascensão da tecnologia das criptomoedas e o mundo em expansão do comércio de criptomoedas, houve um aumento na necessidade de armazenamento seguro de ativos digitais e de facilitação de transações. Para atender a essa necessidade, foram introduzidas carteiras digitais criptografadas. Essas carteiras não atuam como armazenamento da criptomoeda em si, mas como detentoras de endereços exclusivos específicos para cada moeda. É um equívoco comum pensar que as criptomoedas são armazenadas nessas carteiras, mas, na realidade, a criptografia existe na blockchain e a carteira apenas fornece acesso a ela.

As carteiras criptográficas, vitais para o gerenciamento de acervos de blockchain, podem ser baseadas em software ou em dispositivos físicos. No centro dessas carteiras está o endereço da carteira criptografada, uma sequência alfanumérica que identifica exclusivamente a carteira na rede blockchain. Muito parecido com um endereço de e-mail, este endereço de carteira é usado para enviar e receber criptomoedas. Ele pode ser compartilhado com segurança com outras pessoas que pretendam transferir criptografia para você e serve como identificador do remetente quando você faz uma transação de criptomoeda.

blog top

O que é uma carteira criptografada?

Carteiras de criptomoedas são ferramentas digitais que fornecem uma gama de serviços para gerenciamento de moedas digitais. Estas carteiras não só facilitam a compra e venda de criptomoedas, mas também permitem aos utilizadores participar em operações de câmbio e efetuar pagamentos de vários bens e serviços. O mercado está repleto de uma variedade de opções de carteiras criptográficas, oferecidas tanto por emissores de moeda digital quanto por fornecedores terceirizados especializados, adeptos do manuseio de diferentes criptomoedas. Essas carteiras contêm as chaves criptográficas públicas e privadas de seus proprietários, permitindo-lhes interagir com criptomoedas como Bitcoin, Doge , Bitcoin Cash e outras.

No domínio do armazenamento criptográfico, as opções disponíveis hoje podem ser amplamente categorizadas em dois tipos: carteiras frias e carteiras quentes . As carteiras quentes, que estão conectadas à Internet, armazenam chaves privadas em aplicativos online, proporcionando assim acesso imediato às criptomoedas. Por outro lado, as carteiras frias armazenam essas chaves offline, garantindo que permaneçam desconectadas da Internet. Esta distinção é crucial na indústria criptográfica, já que muitos consideram as carteiras quentes menos seguras devido à sua conectividade online. Essas carteiras mantêm chaves e códigos privados em servidores conectados à Internet, tornando-os vulneráveis a ataques cibernéticos, hackers e outras atividades maliciosas. Por outro lado, as carteiras frias são muitas vezes consideradas mais seguras, uma vez que operam offline, mantendo as transações e os ativos longe do alcance dos fraudadores online, oferecendo assim maior proteção aos ativos dos investidores.

O que é um endereço criptográfico?

Cada carteira criptografada, seja ela contendo Bitcoin ou Altcoin, recebe um endereço distinto. Esse endereço, composto por uma mistura de letras maiúsculas e minúsculas junto com números, serve como um identificador exclusivo para a localização da criptomoeda em seu respectivo blockchain. Este identificador é crucial para a realização de quaisquer operações financeiras com a criptomoeda, incluindo depósitos, saques e transferências. O comprimento deste endereço varia dependendo da criptomoeda, normalmente variando de 27 a 40 caracteres. Por exemplo, os endereços de carteira Bitcoin geralmente consistem em 26 a 35 caracteres alfanuméricos.

A criação de um endereço Bitcoin envolve várias etapas. Inicialmente, uma chave privada é gerada aleatoriamente na sua carteira. Esta chave privada é a base para calcular a chave pública da carteira através de um processo chamado hashing. Em seguida, o endereço criptográfico é formado a partir da chave pública por meio de uma série de transformações.

A cada nova transação financeira, um novo código público é gerado. Esta prática foi projetada para aumentar a segurança dos ativos criptográficos. É importante ressaltar que as chaves utilizadas anteriormente são armazenadas no arquivo do usuário e permanecem ativas. Isto significa que se os fundos forem enviados para um endereço mais antigo, ainda serão creditados no saldo do destinatário. Também existe a opção de interromper a geração de novos endereços. No entanto, optar por isso significa que terceiros poderiam rastrear todo o histórico de transações financeiras vinculado a uma chave pública permanente e imutável.

Carteira criptográfica vs endereço criptográfico

Embora uma carteira de criptomoeda e um endereço criptográfico sejam componentes fundamentais na execução de transações com ativos digitais, é importante reconhecer as diferenças distintas entre eles.

Um equívoco comum é a crença de que os ativos criptográficos são armazenados fisicamente em uma carteira de criptomoedas. Na realidade, uma carteira criptográfica serve como um centro para gerar novos endereços para cada ativo digital. Essas transações podem ocorrer dentro do mesmo blockchain ou em diferentes blockchains. Uma analogia adequada é comparar uma carteira criptográfica a um teclado, com os múltiplos endereços que ela gera para cada moeda agindo como teclas diferentes no teclado. Conseqüentemente, uma única carteira criptográfica pode conceder ao investidor acesso a uma infinidade de endereços criptográficos, cada um correspondendo a uma moeda criptográfica específica dentro da carteira.

Também é crucial observar que nem toda carteira de criptomoeda contém chaves privadas. Existem certos tipos de carteiras, como carteiras específicas para moedas, que são usadas principalmente para verificar saldos e confirmar transações sem conter uma chave privada. Consequentemente, estas carteiras não permitem a assinatura de transações ou o envio de moedas. Além disso, existem carteiras de exchanges e algumas carteiras online onde as chaves privadas não estão sob o controle do usuário, mas são gerenciadas pelas entidades que administram as exchanges. Esta distinção destaca a natureza variada das carteiras de criptomoedas e suas diferentes funcionalidades no domínio do gerenciamento de ativos digitais.

middle

Como funciona um endereço de carteira

Compreender as funcionalidades das carteiras criptográficas e dos endereços das carteiras pode simplificar significativamente a sua jornada no mundo das criptomoedas. Uma carteira criptográfica, seja ela um software ou hardware, na verdade não armazena seus fundos digitais. Em vez disso, sua função principal é proteger suas chaves privadas e facilitar suas interações com fundos no blockchain, da mesma forma que você usaria uma carteira tradicional para interagir com dinheiro físico.

Cada carteira criptografada vem com um identificador exclusivo conhecido como endereço. Este endereço, uma sequência de texto, funciona de forma semelhante a um endereço de e-mail, mas é gerado aleatoriamente. É usado para enviar ou receber fundos no blockchain. Você forneceria esse endereço de carteira a qualquer pessoa que desejasse transferir criptografia para você, e ele também aparecerá como o endereço do remetente quando você iniciar uma transação.

Por exemplo, se você quiser receber Bitcoin em sua carteira blockchain, você deve compartilhar o endereço da sua carteira em vez da chave pública, pois é mais fácil de usar e comum. A carteira cria esse endereço fazendo hash de sua chave pública para uma criptomoeda específica, como Bitcoin. Este endereço não é usado apenas para receber fundos, mas também para enviar criptografia. Por exemplo, você pode transferir Bitcoin de uma troca de criptografia para sua carteira. É importante observar que enquanto algumas criptomoedas como o Bitcoin geram um novo endereço para cada transação, outras como o Ethereum usam um endereço estático.

Ao enviar criptografia para outra pessoa, você precisará inserir o endereço da carteira dela no aplicativo de carteira. Isso pode ser feito copiando e colando o endereço ou digitalizando um código QR. Dado que os endereços das carteiras podem ter até 40 caracteres alfanuméricos, uma entrada cuidadosa é essencial para garantir a precisão. Depois de inserir o endereço do destinatário e iniciar a transação, você gerencia e move efetivamente seus ativos digitais dentro da rede blockchain.

Diferentes tipos de carteiras e endereços

A crescente popularidade das criptomoedas estimulou o desenvolvimento de várias soluções, criando um ecossistema dinâmico para o gerenciamento de ativos criptográficos. Entre elas, as carteiras criptografadas se destacam como uma inovação revolucionária, redefinindo a forma como interagimos com as moedas digitais.

No mundo criptográfico, as carteiras são categorizadas principalmente em dois tipos: quentes e frias . As carteiras quentes estão conectadas à Internet e incluem subtipos como carteiras de software, online (web), desktop e móveis. As carteiras frias, por outro lado, estão offline e geralmente vêm na forma de carteiras de hardware. Cada tipo oferece vantagens distintas em termos de acessibilidade e segurança.

Juntamente com a diversidade de tipos de carteiras, existem também vários tipos de endereços criptográficos, cada um com características únicas. Focando no Bitcoin , encontramos quatro categorias principais de endereços:

  • Endereço Segwit ou Bech32 (P2WPKH) : Esses endereços, começando com “bc1”, são projetados para diminuir o tamanho dos blocos blockchain, aumentando assim a velocidade das transações. O Segwit, especificamente o formato Bech32, é reconhecido por suas baixas taxas de transação e processamento rápido. No entanto, a sua compatibilidade é limitada porque nem todas as carteiras e sistemas a suportam.
  • Endereço legado ou P2PKH : Como formato de endereço Bitcoin original, esses endereços começam com “1” e contêm de 26 a 36 caracteres. As transações de endereços P2PKH normalmente incorrem em taxas mais altas em comparação com endereços Segwit devido ao seu tamanho maior.
  • Compatibilidade ou Endereço P2SH : Começando com “3”, esses endereços oferecem funcionalidades mais complexas que seus antecessores. Os endereços P2SH reduzem a taxa média de transação em comparação aos endereços P2PKH e exigem um script específico para gastos com BTC, aumentando a segurança.
  • Endereço Taproot ou BC1P : Emergindo da última grande atualização da rede Bitcoin, os endereços Taproot apresentam as taxas mais baixas entre os formatos. No entanto, a sua adoção ainda está a crescer, uma vez que apenas um número limitado de carteiras suporta atualmente este formato.

É crucial que os usuários entendam as nuances desses tipos de carteira e formatos de endereço, pois eles impactam diretamente as taxas de transação, a velocidade e a experiência geral do usuário no ecossistema criptográfico. Com a evolução contínua das tecnologias de criptomoeda, manter-se informado sobre estes desenvolvimentos é fundamental para uma gestão eficiente e segura de ativos digitais.

Exemplos de endereços de carteira

Os endereços de carteira no mundo das criptomoedas variam de acordo com a moeda digital específica usada. Embora a maioria das carteiras blockchain sejam versáteis o suficiente para lidar com múltiplas criptomoedas, cada moeda requer seu próprio formato de endereço exclusivo. Para fornecer uma imagem mais clara, vamos explorar os formatos de endereço de algumas criptomoedas populares, juntamente com exemplos adicionais.

  • Bitcoin (BTC) : Os endereços da carteira Bitcoin variam de 26 a 35 caracteres, incluindo letras e números. Eles normalmente começam com “1”, “3” ou “bc1”. Por exemplo, um exemplo de endereço Bitcoin pode ser semelhante a: 1Lbcfr7sAHTD9CgdQo3HTMTkV8LK4ZnX71.
  • Ethereum (ETH) : Os endereços Ethereum são cadeias hexadecimais de 42 caracteres. Eles são derivados dos últimos 20 bytes da chave pública da carteira e prefixados com “0x”. Um endereço Ethereum típico é: 0x1ABC7154748D1CE5144478CDEB574AE244B939B5.
  • Stellar (XLM) : A rede Stellar usa dois tipos de endereços. O endereço padrão reflete a chave pública da carteira, composta por 56 caracteres e começando com “G”. Por exemplo: GBH4TZYZ4IRCPO44CBOLFUHULU2WGALXTAVESQA6432MBJMABBB4GIYI. Além disso, o protocolo de federação do Stellar permite a criação de endereços de federação, semelhantes a um formato de e-mail como “usernamedomain”.
  • Ripple (XRP) : Os endereços Ripple são semelhantes aos do Bitcoin, mas geralmente começam com “r”. Esses endereços também são alfanuméricos e variam em comprimento. Um exemplo de endereço Ripple é: rDsbeomae4FXwgQTJp9Rs64Qg9vDiTCdBv.
  • Litecoin (LTC) : Os endereços Litecoin geralmente começam com um “L” ou “M” para endereços legados e SegWit, respectivamente. Eles são semelhantes em estrutura aos endereços Bitcoin. Um exemplo é: LcHKx4Tt8dS9iM4NLp9oEo2rALr4avzs4T.
  • Monero (XMR) : Os endereços Monero são bastante longos, consistindo em 95 caracteres. Esses endereços sempre começam com “4”. Por exemplo: 41mizuh9GrtDDMmU9G5PkXmX1w8C7WbXwh4BR52j2d9PVL4Lhe4fgoKjbYnYpCULhoJcbn5h8mA6EvYzgj7bDkLx1bHqRoD.
  • Tron (TRX) : Os endereços Tron são distintos em sua estrutura, normalmente começando com um “T” e compreendendo 34 caracteres. Esses endereços são alfanuméricos e projetados especificamente para a rede Tron. Um exemplo de endereço Tron é: TJZJrYsJ4R4UP3G2s8s2kFJUJGxYtft3kq.
  • Dash (DASH) : Dash, conhecido por seu foco em privacidade e transações rápidas, usa endereços semelhantes ao formato do Bitcoin. Esses endereços geralmente começam com “X” e consistem em caracteres alfanuméricos. Um exemplo de endereço Dash é: XcYc4peia5xqh2JHzMeVFWEBMSmN34whmF.
  • Zcash (ZEC) : Zcash foi projetado para maior privacidade, oferecendo dois tipos de endereços: transparentes (endereços t) e privados (endereços z). Endereços transparentes se assemelham a endereços Bitcoin, começando com “t”, enquanto endereços privados começam com “z”. Um exemplo de endereço t Zcash é: t1dZDDPLz8TxjVn23fF8S7sTdjqmzYjYzGB.
  • Solana (SOL) : Os endereços de Solana têm normalmente 44 caracteres e são alfanuméricos. Eles são exclusivos da rede Solana, conhecida por seu alto rendimento e escalabilidade. Um exemplo de endereço Solana é: Bf4e9RQZpv2GXFJ5J8r4z7oEjJ5Y9QVAPFZpTd1iJUou.
  • Polkadot (DOT) : Polkadot usa um formato de endereço com vários caracteres que pode variar em comprimento. Esses endereços são específicos da rede Polkadot, que permite a interoperabilidade de vários blockchains. Um exemplo de endereço Polkadot é: 15GAgHaG1NjqD5fp7D1mZFKL6W6zQvPQvhK.

O formato de endereço exclusivo de cada criptomoeda é projetado para garantir a segurança e a especificidade das transações dentro de sua respectiva rede. À medida que o cenário criptográfico continua a evoluir, a compreensão destes vários formatos torna-se cada vez mais importante para gerir e transacionar eficazmente em diversas moedas digitais.

Como obter um endereço de carteira

Adquirir um endereço de carteira é uma etapa fundamental no envolvimento com criptomoedas e isso requer ter uma carteira blockchain. As opções de carteiras são diversas, abrangendo variedades digitais e de hardware. As carteiras digitais, muitas vezes chamadas de carteiras quentes, são baseadas em software e podem ser instaladas em computadores ou smartphones sem nenhum custo. Por outro lado, as carteiras de hardware, conhecidas como carteiras frias, são dispositivos físicos adquiridos para armazenar criptomoedas off-line com segurança.

As carteiras digitais são preferidas pela sua relação custo-benefício e facilidade de uso. Algumas carteiras digitais populares incluem:

  • MetaMask: Uma extensão de navegador e aplicativo móvel conhecido por sua compatibilidade com Ethereum.
  • Trust Wallet: Uma carteira móvel que suporta uma ampla variedade de criptomoedas.
  • Carteira Coinbase: Uma extensão da bolsa Coinbase, oferecendo uma interface amigável.

Para maior segurança, as carteiras de hardware são preferidas devido às suas capacidades de armazenamento frio, o que significa que não estão conectadas à Internet. Trezor e Ledger são marcas líderes nesta categoria, oferecendo vários modelos com preços diferentes.

Além disso, o Plisio é outra opção relevante neste âmbito. Plisio opera como um gateway de pagamento de criptomoedas, permitindo aos usuários fazer transações e gerenciar diversas criptomoedas. Ele integra funcionalidades de carteira e oferece serviços que são especialmente benéficos para empresas que desejam aceitar pagamentos criptográficos.

Para gerar um endereço de carteira, abra a carteira escolhida e selecione a criptomoeda que deseja receber. Algumas carteiras podem exigir que você escolha a opção “Receber”. A carteira então gera um endereço específico para essa criptomoeda.

É crucial copiar e colar este endereço com precisão. A digitação manual é desencorajada devido ao risco de erros; mesmo um único erro no endereço pode resultar em perda de fundos, pois as transações de criptomoeda são irreversíveis e não podem ser recuperadas depois de enviadas para um endereço incorreto.

bottom

Por favor, note que Plisio também oferece a você:

Crie faturas criptográficas em 2 cliques and Aceitar doações de criptografia

12 integrações

6 bibliotecas para as linguagens de programação mais populares

19 criptomoedas e 12 blockchains

Ready to Get Started?

Create an account and start accepting payments – no contracts or KYC required. Or, contact us to design a custom package for your business.

Make first step

Always know what you pay

Integrated per-transaction pricing with no hidden fees

Start your integration

Set up Plisio swiftly in just 10 minutes.