O que é Tether USDT?

O que é Tether USDT?

Tether (USDT) detém a distinção de ser a maior moeda estável em capitalização de mercado no mundo das criptomoedas. Sua principal função é fornecer uma ponte estável para transações entre diversas criptomoedas e moedas fiduciárias tradicionais. Estabelecido pela iFinex, uma empresa registrada em Hong Kong que também possui a exchange de criptomoedas BitFinex, o Tether foi inicialmente introduzido como RealCoin em julho de 2014 e posteriormente rebatizado como Tether em novembro do mesmo ano. Esta moeda estável está exclusivamente atrelada ao dólar americano e é considerada apoiada “100% pelas reservas do Tether”, conforme declarado em seu site oficial.

Originalmente construído no blockchain Bitcoin, o Tether expandiu sua compatibilidade e agora opera em vários protocolos, incluindo os protocolos Omni e Liquid do Bitcoin, blockchains Ethereum , TRON , EOS, Algorand, Solana e Bitcoin Cash (SLP). Notavelmente, em janeiro de 2023, o Tether conquistou a terceira posição na hierarquia das criptomoedas, atrás apenas do Bitcoin (BTC) e do Ethereum (ETH) em termos de capitalização de mercado. Com uma capitalização de mercado próxima de US$ 68 bilhões, o USDT da Tether desempenhou um papel fundamental em muitas exchanges de alto valor ao longo de 2022, solidificando seu status como a principal escolha de stablecoin para traders e investidores. Essa estabilidade, juntamente com sua ampla adoção, posiciona o Tether como um componente crucial no cenário criptográfico em constante evolução.

blog top

O que é uma moeda estável?

Stablecoins, como o Tether, oferecem um ativo digital caracterizado por volatilidade mínima, normalmente mantendo uma avaliação consistente. Essas stablecoins estão ancoradas em ativos estáveis como o ouro, o dólar americano ou outras moedas fiduciárias, garantindo que o valor da moeda se esforce para permanecer equivalente à sua indexação.

“O conceito fundamental é que 1 Tether pode sempre ser trocado por US$ 1, independentemente das condições de mercado prevalecentes”, explica Steve Bumbera, cofundador e principal desenvolvedor do Many Worlds Token.

A partir de agora, o Tether é a maior moeda estável, contribuindo com aproximadamente 53% da capitalização de mercado total das moedas estáveis. A segunda maior stablecoin, USD Coin (USDC), comanda cerca de 31% da participação de mercado, seguida de perto pela Binance USD (BUSD).

A importância de stablecoins como o Tether na criptoesfera reside em seu papel no fornecimento de liquidez inabalável e confiável para navegar dentro e fora das negociações de criptomoedas. Esta provisão de liquidez protege os comerciantes de perdas imprevisíveis desencadeadas pelas flutuações erráticas de preços, sinônimo do mercado criptográfico. Esta estabilidade e previsibilidade amplificam o fascínio das stablecoins entre comerciantes e investidores.

blog top

Como funciona o Tether?

A estabilidade inerente ao Tether tem origem na sua robusta estrutura de reservas. A empresa afirma possuir dólares e outros ativos equivalentes ou superiores à contagem total de tokens USDT em circulação. Essencialmente, para cada token Tether colocado em circulação, a empresa afirma possuir um dólar dentro de suas reservas, denominado em moeda líquida ou semelhante a ativos como títulos de curto prazo e depósitos a prazo.

A Tether mantém uma postura transparente ao divulgar regularmente suas quantidades de reserva em relação aos tokens USDT pendentes em seu site oficial. No entanto, surgiram dúvidas e disputas em torno das reservas da Tether, com o escrutínio de órgãos reguladores como a Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC) e o Procurador-Geral de Nova York focado nas práticas de reservas da empresa.

Os investidores interessados podem adquirir Tether facilmente nas principais bolsas de criptomoedas. Quando um investimento de US$ 100 é direcionado ao Tether, cerca de 100 tokens USDT são conferidos, aumentando simultaneamente as reservas da empresa em US$ 100 para manter a indexação essencial de 1 para 1 dólar. Os tokens Tether são efetivamente retirados de circulação e eliminados quando os usuários optam por trocá-los por moeda fiduciária tradicional.

Ao contrário de possuir seu blockchain autônomo, o Tether facilita seus tokens por meio de blockchains de terceiros. Os hosts atuais dos tokens USDT abrangem:

  • Ethereum - USDT Erc-20
  • Tron - USDT Trc-20
  • Cadeia Inteligente Binance - USDT Bep-20

A interação dinâmica das reservas garantidas do Tether e sua emissão de tokens estratégicos em blockchains selecionados ressaltam seu papel fundamental como força estabilizadora no cenário das criptomoedas.

História da amarração

A história do Tether remonta a uma década, originando-se das ideias inovadoras de JR Willet. A exploração de Willet na construção de novas criptomoedas usando o protocolo Bitcoin culminou no início da Mastercoin, onde um de seus primeiros membros acabou co-fundando o Tether em 2014.

O Tether rapidamente ganhou força como veículo de liquidez quando foi integrado à bolsa BitFinex em janeiro de 2015. No entanto, a jornada não foi isenta de desafios. Em novembro de 2017, Tether relatou um roubo de US$ 31 milhões em tokens USDT, uma situação que levou a um hard fork subsequente.

Como o Tether pretendia estabilizar o seu valor através de uma indexação de 1 para 1 ao dólar americano, encontrou um escrutínio relativamente às suas reservas. Estas questões coincidiram com o facto de a empresa enfrentar dificuldades no acesso aos serviços bancários.

Notavelmente, em abril de 2019, o Procurador-Geral de Nova York obteve uma ordem judicial contra a Tether e a iFinex, empresa-mãe da BitFinex. Esta ordem seguiu-se a uma investigação que revelou o empréstimo da BitFinex de cerca de 700 milhões de dólares das reservas da Tether para resolver fundos congelados ligados ao seu parceiro bancário panamenho Crypto Capital Corp.

Nos anos que se seguiram, a Tether navegou pelas complexidades jurídicas. Em fevereiro de 2021, Tether e BitFinex chegaram a acordos, envolvendo multas e compromissos de compartilhar informações sobre suas reservas com órgãos reguladores.

Outros desenvolvimentos surgiram em outubro de 2021, quando a Commodity Futures Trading Commission (CFTC) dos EUA anunciou o acordo da Tether em pagar uma multa substancial devido a discrepâncias no apoio às reservas. A estabilidade do Tether foi testada em maio de 2022, quando o valor caiu brevemente, atribuído ao colapso do valor de outro emissor de moeda estável. O Tether, no entanto, recuperou-se rapidamente, aderindo ao seu compromisso de honrar os pedidos de resgate em alinhamento com a sua paridade.

Nos seus esforços para ampliar o seu alcance, a Tether expandiu as suas ofertas para incluir stablecoins apoiadas por outras moedas fiduciárias, como o peso mexicano, ao mesmo tempo que continuou a sua presença em várias blockchains.

Ao longo da sua jornada, a Tether continua a ser uma presença significativa no espaço das criptomoedas, caracterizada por realizações e desafios que moldaram o seu papel no panorama mais amplo dos ativos digitais.

Como o Tether é útil?

As stablecoins continuam a ser uma preferência preferida entre os comerciantes de criptomoedas, com o Tether tendo navegado por controvérsias relativas à liquidez e à suficiência de suas reservas.

Ainda em 2022, as divulgações da empresa relativamente às suas reservas permaneciam algo opacas. O site do Tether, em determinado momento, ofereceu uma elucidação mínima, apenas afirmando que “todos os tokens do Tether mantêm uma relação de 1 para 1 com uma moeda fiduciária correspondente e são totalmente respaldados pelas reservas do Tether”.

Adam Carlton, CEO da Pink Panda, um fornecedor de carteiras criptografadas, destaca que a transparência histórica do Tether em relação ao seu apoio encontrou períodos de obscuridade e inconsistência.

“O passado da moeda é marcado por incertezas jurídicas e, mesmo atualmente, a visibilidade das suas reservas reais permanece obscura e acredita-se que inclua substancialmente origens não identificadas de papel comercial”, observa Carlton.

Outros especialistas em criptomoedas reconhecem que há um certo nível de reconhecimento dentro da criptoesfera de que o Tether pode não possuir garantia total.

“O mercado tem lutado com essa noção de até que ponto eles estão confortáveis; é amplamente reconhecido que o Tether não está vinculado apenas a dólares”, observa James Putra, vice-presidente de estratégia de produto da TradeStation Crypto.

middle

O que é pagamento em USDT?

O pagamento em USDT refere-se a fazer um pagamento usando a criptomoeda Tether (USDT). O uso do USDT para pagamentos permite que indivíduos e empresas façam transações em uma moeda digital projetada para manter um valor consistente semelhante ao dólar americano. Isto pode ajudar a mitigar a volatilidade frequentemente associada a outras criptomoedas como Bitcoin ou Ethereum. Os pagamentos em USDT podem ser feitos para vários bens e serviços, incluindo compras online, remessas, investimentos e muito mais. O apelo dos pagamentos em USDT reside no seu potencial para combinar os benefícios das criptomoedas (como transações rápidas e sem fronteiras) com a relativa estabilidade das moedas fiduciárias tradicionais.

Como funciona o pagamento Tether?

Se você está pensando em habilitar transações Tether para o seu negócio, primeiro você precisará de uma carteira comercial de criptomoeda Plisio com suporte para USDT.

Para facilitar as transações Tether de seus clientes, a integração de um gateway de pagamento de criptomoeda em seu site, plataforma ou aplicativo torna-se imprescindível. Uma opção notável, como o Plisio, oferece a capacidade de gerar múltiplas faturas e gerenciar com eficácia uma série de transações corporativas em várias carteiras.

Ao receber os pagamentos Tether, você terá a opção de reter o USDT recebido na carteira relevante ou optar por convertê-lo em uma moeda alternativa. Numerosas bolsas e carteiras online oferecem a possibilidade de converter Tether em diversas criptomoedas ou moedas fiduciárias tradicionais, como dólares americanos, euros ou libras. Esta flexibilidade sublinha a adaptabilidade do Tether tanto como meio de transação como como potencial estratégia de diversificação de ativos.

À medida que você navega no domínio dos pagamentos Tether para o seu negócio, é aconselhável priorizar carteiras seguras e confiáveis, integração perfeita de gateways de pagamento e uma compreensão das opções de conversão potenciais disponíveis para você.

Tether x Bitcoin

Conforme afirmado por Daniel Rodriguez, diretor de operações da Hill Wealth Strategies, uma distinção notável entre TetherUSD e Bitcoin reside em seus princípios de ancoragem. O Tether encontra sua base em um ativo que não é criptomoeda, ou seja, o dólar americano. Por outro lado, o Bitcoin obtém seu valor exclusivamente da dinâmica de oferta e demanda por BTC.

Além disso, o Tether opera como uma criptomoeda centralizada, enquanto o Bitcoin opera de forma descentralizada. Este contraste inerente contribui para a estabilidade percebida do Tether quando justaposto ao Bitcoin.

As criptomoedas que não possuem vínculos com ativos ou moedas do mundo real permanecem suscetíveis à volatilidade do mercado. Criptomoedas convencionais como Ethereum e Litecoin (LTC) são conhecidas por sofrer oscilações significativas em resposta às flutuações do mercado, inflação e mudanças nas taxas de juros.

Rodriguez elabora, observando que o Tether exibe um nível relativamente mais alto de estabilidade devido à sua propensão a acompanhar de perto o valor de um dólar americano, com pequenas variações. Ele esclarece que o Tether não foi projetado principalmente para geração de lucro; em vez disso, esforça-se por servir como um repositório confiável de valor.

Em resumo, os insights de Rodriguez sublinham os mecanismos contrastantes que impulsionam o Tether e o Bitcoin, destacando o esforço do primeiro pela estabilidade e a sua associação com o dólar americano, em contraste com a natureza descentralizada e orientada para o mercado do Bitcoin.

Tether é um bom investimento?

Stablecoins como o Tether não se alinham com o conceito tradicional de investimento, pois seu objetivo não é agregar valor. Em vez disso, funcionam como um repositório de valor, garantindo que o valor de uma moeda USDT equivale consistentemente a um dólar americano.

Além de seu papel como reserva confiável de valor, o Tether serve como uma ferramenta inestimável para conduzir negócios com maior simplicidade em comparação ao Bitcoin.

A natureza intrínseca do Bitcoin, caracterizada pelas suas flutuações de preços, cria complexidades para as empresas que tentam estabelecer estruturas de preços. De acordo com Bumbera, “O valor de um Bitcoin hoje pode diferir significativamente de seu valor amanhã, tornando o estabelecimento de estruturas de preços centradas exclusivamente no BTC extremamente desafiador”.

Uma justificativa notável para manter uma moeda estável como o USDT, conforme sugerido por Bumbera, é o desejo de se envolver com o espaço criptográfico e, ao mesmo tempo, contornar a volatilidade. No entanto, mesmo quando vinculado ao dólar americano, a segurança do Terra como investimento permanece incerta.

Bumbera acrescenta uma nota de advertência, destacando os riscos potenciais, como a desvalorização do Tether ou o uso de uma plataforma de staking ilegítima.

Embora o Tether afirme um histórico imaculado no cumprimento de solicitações de resgate de clientes verificados, é essencial reconhecer que não existem garantias no domínio dos investimentos ou das criptomoedas.

Além disso, os entusiastas das criptomoedas devem permanecer atentos à evolução do quadro regulamentar que rege os ativos digitais. Como enfatiza LoPresti, a trajetória do Tether e de outras stablecoins depende da transparência, da adequação das garantias e da liquidez. É provável que os reguladores direcionem o seu escrutínio para estes aspectos da economia dos ativos digitais, especialmente após o colapso do TerraUSD.

Concluindo, a dinâmica de stablecoins como o Tether abrange seu papel distinto como repositórios de valor, oferecendo uma alternativa aos objetivos de investimento comumente associados às criptomoedas tradicionais.

O Tether encontra a sua principal utilidade ao facilitar a conversão de criptomoedas em moedas fiduciárias, uma medida utilizada para mitigar o risco de derrapagem, que envolve a depreciação do valor que pode ocorrer entre o início e a conclusão de uma transação. No entanto, surgem casos em que o alinhamento do Tether com a indexação da moeda fiduciária designada não é mantido de forma consistente. Um incidente ilustrativo ocorreu quando a exchange FTX entrou em colapso em novembro de 2022. Durante esse período, o Tether sofreu uma queda drástica, caindo para um valor aproximado de US$ 0,995. No entanto, a resiliência do Tether foi evidente à medida que se recuperou rapidamente, às vezes até ultrapassando a indexação de 1 para 1 prevista, uma tendência que persistiu até janeiro de 2023. Este episódio exemplifica a dinâmica sutil que pode impactar a estabilidade e o alinhamento do Tether com sua indexação. moeda fiduciária durante condições de mercado excepcionais.

bottom

Por favor, note que Plisio também oferece a você:

Crie faturas criptográficas em 2 cliques and Aceitar doações de criptografia

12 integrações

6 bibliotecas para as linguagens de programação mais populares

19 criptomoedas e 12 blockchains

Alguma pergunta?

Tether (USDT) é um tipo de criptomoeda conhecida como stablecoin, projetada para manter um valor intimamente atrelado ao dólar americano.

O Tether mantém seu valor respaldando cada token USDT com uma quantidade equivalente de ativos do mundo real, normalmente na forma de reservas em moeda fiduciária, como o dólar americano.

O Tether serve como uma ponte estável entre o mundo das criptomoedas e as moedas fiduciárias tradicionais, fornecendo uma maneira confiável de realizar transações sem ser afetado pela volatilidade frequentemente associada a outras criptomoedas.

Os pagamentos Tether envolvem o envio de tokens USDT de uma carteira para outra. Cada token USDT representa um valor estável de aproximadamente um dólar americano.

O Tether foi projetado principalmente como uma reserva estável de valor, em vez de um veículo de investimento para gerar lucros. O seu valor permanece relativamente constante, ao contrário de outras criptomoedas sujeitas a flutuações de preços.

Tether afirma ser 100% garantido por reservas, que incluem dinheiro ou equivalentes a dinheiro. No entanto, surgiram questões relativamente à transparência e suficiência destas reservas.

Tether é uma stablecoin vinculada a uma moeda fiduciária, enquanto Bitcoin é uma criptomoeda descentralizada cujo valor depende exclusivamente da oferta e da demanda.

Sim, muitas bolsas e carteiras online permitem converter Tether em outras criptomoedas ou moedas fiduciárias tradicionais, como USD, EUR ou GBP.

Sim, o Tether enfrentou investigações regulatórias e controvérsias relacionadas às suas reservas e transparência. Seu futuro pode ser influenciado por desenvolvimentos regulatórios no espaço das criptomoedas.

Tether oferece estabilidade no mercado criptográfico, proporcionando um refúgio seguro contra flutuações extremas de preços. Seu uso abrange desde a facilitação de transações até o fornecimento de uma opção segura de armazenamento de ativos no ecossistema criptográfico.

Ready to Get Started?

Create an account and start accepting payments – no contracts or KYC required. Or, contact us to design a custom package for your business.

Make first step

Always know what you pay

Integrated per-transaction pricing with no hidden fees

Start your integration

Set up Plisio swiftly in just 10 minutes.