O que é um bitcoin físico e quanto vale?

O que é um bitcoin físico e quanto vale?

Imagine um futuro onde a natureza intangível do Bitcoin se funde com a tangibilidade de um dólar de prata. E se, em vez de usar dinheiro convencional, você pudesse pagar o jantar ou um ingresso de cinema com moedas metálicas vinculadas ao valor da criptomoeda?

Isso não é uma mera fantasia. O conceito de Bitcoins físicos está em movimento. Projetadas para aqueles que prezam a segurança tátil dos ativos tradicionais, essas moedas visam preencher a lacuna entre os domínios digital e físico. Embora possam parecer moedas familiares, feitas de metais como latão, prata ou ouro, seu verdadeiro valor está abaixo da superfície. Ao contrário das moedas tradicionais que têm um valor definido, os Bitcoins físicos derivam o seu valor de uma chave privada impressa neles. Essa chave se conecta a uma carteira digital, contendo de 1 BTC a 100 BTC.

Em nossa era dominada pelo digital, onde informações e ativos flutuam em nuvens virtuais, ainda há um anseio tangível. Os Bitcoins físicos atendem àqueles que desconfiam de ativos puramente digitais, oferecendo uma abordagem prática ao universo criptográfico. À medida que o mundo continua a evoluir, estas moedas podem ser apenas o próximo passo para revolucionar a forma como percebemos e lidamos com o dinheiro.

O que são Bitcoins físicos?

O termo "Bitcoin físico" pode confundir aqueles que têm apenas um conhecimento básico de criptomoedas.

Como um ativo puramente digital como o Bitcoin pode se tornar tangível? E isso não vai contra os princípios fundamentais da criptomoeda? Por que alguém iria querer um Bitcoin tangível quando sua principal vantagem é sua natureza digital?

Essas são preocupações válidas. Mas a resposta está na compreensão de que os Bitcoins físicos não possuem valor intrínseco. Em vez disso, eles agem como símbolos de Bitcoins reais, incorporados por chaves digitais exclusivas anexadas a cada peça tangível, tornando-os itens cobiçados por alguns aficionados por criptografia.

Por exemplo, um Bitcoin tangível pode se assemelhar a uma moeda de ouro com o emblema do Bitcoin gravado. No verso, há um código digital distinto protegido por um adesivo holográfico. Este código fornece acesso a uma carteira Bitcoin real na internet.

Em essência, com as salvaguardas digitais corretas, seria possível, teoricamente, transformar qualquer item em uma representação Bitcoin, vinculando-o à sua contraparte digital.

Como os bitcoins físicos são criados?

Muitos indivíduos que criam bitcoins físicos utilizam impressoras 3D. Uma vez que são produzidos por entusiastas e não por qualquer autoridade central, os designs podem variar significativamente. Algumas moedas possuem revestimentos metálicos, enquanto outras são feitas inteiramente de prata ou ouro.

O valor real dessas moedas não está em seu material, mas no verso, onde a chave privada está incorporada. Esta chave permite que seu possuidor reivindique o BTC associado online. Cada moeda tem sua chave privada distinta, garantindo que mesmo que alguém se apropriasse indevidamente ou adulterasse a moeda, acessaria apenas o BTC vinculado a essa moeda específica. Por outro lado, se fosse uma carteira digital, uma violação poderia expor potencialmente todas as criptomoedas armazenadas.

O primeiro bitcoin físico

Nos estágios iniciais do Bitcoin, antes de ultrapassar o significativo valor de referência de US$ 1.000, houve um impulso entusiástico para cunhar representações tangíveis desse ativo digital. Eles não eram apenas simbólicos, mas também tinham valor BTC real, além de servirem a intenções promocionais e de colecionador.

Mike Caldwell foi o pioneiro nesse movimento com a introdução da moeda Casascius em 2011. Essas moedas não eram apenas ornamentais; eles foram incorporados ao valor genuíno do Bitcoin, tornando-os o assunto do mundo criptográfico. No final de 2013, Caldwell havia cunhado com sucesso notáveis 27.000 dessas moedas, com designs variando de denominações de latão de 0,5 e 1 BTC a uma majestosa barra de 1.000 BTC adornada com banho de ouro.

No entanto, o ambicioso empreendimento de Caldwell encontrou obstáculos regulamentares quando a Rede de Repressão a Crimes Financeiros (FinCEN), uma divisão do Departamento do Tesouro, interveio. Eles identificaram suas operações semelhantes às de um transmissor de dinheiro, necessitando de registro federal para prosseguir.

No rescaldo da saga da moeda Casascius e da interferência do FinCEN, os subsequentes empreendimentos físicos de Bitcoin foram tratados com cautela. A Alitin Mint, por exemplo, optou por uma abordagem opulenta, produzindo moedas comemorativas luxuosas, ricas em arte, mas desprovidas de uso prático de moeda. Estas moedas, adornadas com representações de Adam Smith e Joana D'Arc, enfrentaram os seus próprios desafios, uma vez que os seus códigos foram rapidamente comprometidos.

Outros projetos iniciais de Bitcoin, como Titan Bitcoin e Antana, são lembrados com carinho por sua estética única e ângulos de marketing atrevidos, infundindo marcas e piadas gregas, romanas e criptoculturais.< /p>

Embora a mania física do Bitcoin tenha diminuído antes do boom criptográfico de 2017, aqueles que possuem essas relíquias históricas provavelmente as consideram inestimáveis, especialmente dada a crescente proeminência do Bitcoin.

Quanto valem as moedas?

O valor de um bitcoin físico pode inicialmente parecer estar diretamente ligado ao valor do BTC incorporado em sua chave privada. No entanto, a realidade é mais matizada. Muitas vezes, devido à sua escassez, essas moedas alcançam preços mais elevados do que o BTC digital que protegem.

O material de composição da moeda afeta significativamente sua avaliação. Conforme destacado, esses tokens podem ser fabricados a partir de uma variedade de materiais, desde variedades folheadas a metal até ouro, prata ou até mesmo plástico. Naturalmente, uma moeda feita de ouro teria um preço mais elevado em comparação com uma simples moeda folheada a metal.

Outra dimensão crucial é a colecionabilidade. Dados seus materiais, designs e quantidades finitas distintos, algumas dessas moedas tornaram-se itens de colecionador. Uma moeda cunhada mais antiga, especialmente se estiver em um lote limitado, pode adquirir um valor superior ao BTC que possui. Sua raridade poderia elevá-lo a um status semelhante ao de pôsteres de filmes antigos ou moedas fiduciárias descontinuadas, tornando-o desejável não apenas por seu BTC incorporado, mas também como um artefato colecionável por si só.

O bitcoin físico é legal?

Possuir um bitcoin físico normalmente é legal, desde que você esteja localizado em uma região onde a posse de criptomoedas é sancionada. Por outro lado, a criação de tais tokens tangíveis pode entrar em conflito com regulamentos específicos de transmissão financeira. Nesses casos, pode haver a obrigação de registro junto aos órgãos reguladores apropriados.

Além de sua natureza tangível, é essencial verificar a autenticidade dos bitcoins físicos, pois podem existir falsificações. Bitcoins físicos autênticos geralmente vêm com uma chave privada ou código QR, que os vincula a uma certa quantidade de BTC. Garantir essa ligação e a credibilidade do emissor pode ajudar a determinar sua autenticidade.

Prós e Contras do Bitcoin Físico

O fascínio do Bitcoin tangível é evidente para aqueles que acompanharam o fluxo e refluxo da criptomoeda nos últimos dez anos. Em sua essência, o Bitcoin físico confere uma existência palpável ao que muitas vezes é visto como meros dígitos virtuais.

Além disso, ter uma versão física descentraliza ainda mais um ativo já celebrado por sua natureza descentralizada. Ele permite diversificar o armazenamento de Bitcoin em vários “lugares”, abrangendo domínios tangíveis e intangíveis, fortalecendo a segurança de seus ativos.

E há o apelo estético inegável. Os Bitcoins físicos, embora variem em termos de fabricação, geralmente apresentam uma sensação substancial, designs elegantes e gravuras complexas que chamam a atenção dos entusiastas da criptografia.

No entanto, essas versões tangíveis contradizem um pouco o princípio central da criptomoeda: a promessa de um mundo onde a moeda digital torna obsoletas as moedas tilintantes e as carteiras de couro.

Enquanto alguns são atraídos para diversificar suas participações em Bitcoin, outros hesitam, temendo os riscos potenciais do armazenamento criptográfico tangível. Muitos dos primeiros Bitcoins físicos cunhados enfrentaram violações de segurança quando seus códigos foram expostos.

Além de seu charme como itens colecionáveis, a praticidade do Bitcoin físico permanece discutível. Isto pode explicar a sua recepção morna na sua fase inicial.

Acrescentando aos desafios, os obstáculos legais têm persistentemente lançado uma sombra sobre a criação e o uso do Bitcoin físico, eventualmente contribuindo para a sua popularidade diminuída.

Por favor, note que Plisio também oferece a você:

Crie faturas criptográficas em 2 cliques and Aceitar doações de criptografia

12 integrações

6 bibliotecas para as linguagens de programação mais populares

19 criptomoedas e 12 blockchains

Alguma pergunta?

O valor de um bitcoin físico é determinado pela quantidade de BTC em sua chave privada e seu apelo colecionável. Além disso, o material e a raridade podem influenciar seu valor além do valor digital do BTC.

Para verificar um bitcoin físico, examine sua chave privada ou código QR, garantindo que ele esteja vinculado a um valor BTC válido. Além disso, verifique marcadores de autenticidade, como selos holográficos, e pesquise a credibilidade do emissor.

Um bitcoin físico genuíno normalmente possui uma chave privada exclusiva ou código QR que corresponde a um valor BTC. A autenticidade também pode ser verificada por meio de selos holográficos, gravuras e garantindo que seja de um emissor confiável. Sempre tenha cuidado e conduza pesquisas completas.

O valor de um bitcoin físico é uma combinação do valor BTC vinculado à sua chave privada, sua composição material e sua raridade como colecionável. Seu valor pode variar com base na demanda do mercado e no valor do BTC que representa.

Para determinar o valor de um bitcoin físico, acesse seu BTC associado por meio da chave privada ou do código QR da moeda. Verifique este valor digital com as taxas atuais de mercado BTC. Além disso, considere seu material, raridade e demanda colecionável por valor agregado.

Um bitcoin físico normalmente se assemelha a uma moeda de metal, geralmente gravada com o logotipo do Bitcoin em um dos lados. O reverso pode apresentar um selo holográfico cobrindo uma chave privada ou código QR. Eles podem variar em design, material (de latão a ouro) e detalhes com base no emissor.

Bitcoins físicos podem ser adquiridos de determinados fornecedores especializados, entusiastas de criptografia ou eventos de colecionadores. Algumas plataformas ou fóruns online também podem oferecê-los. Sempre garanta a autenticidade e faça transações com segurança ao fazer uma compra.

Para resgatar um bitcoin físico, acesse sua chave privada ou código QR, geralmente escondido sob um selo holográfico. Insira esta chave em uma carteira bitcoin para reivindicar o BTC associado. Tenha cuidado, pois uma vez quebrado o selo, o valor colecionável da moeda pode diminuir.

Para escanear um bitcoin físico, localize o código QR normalmente presente na moeda. Use um leitor de código QR ou um aplicativo de carteira de criptomoeda com recursos de digitalização. Depois de digitalizado, o aplicativo deve exibir o valor ou endereço BTC associado. Certifique-se de confiar na ferramenta de verificação para evitar riscos de segurança.